Arquivo

Archive for Maio, 2012

Às vezes, nem os medicamentos são o melhor para a doença que nos atinge …

Uma investigação publicada pela revista científica  New England Journal of Medicine revela os riscos para o coração na tomada de um antibiótico chamado AZITROMICINA disponível no mercado mundial, desde a década de 80 e muito popular devido à sua brevidade na tomada (habitualmente  a sua tomada faz-se durante poucos dias, menos dias do que em outros antibióticos).

O estudo realizado por cientistas da Universidade de Vanderbilt, baseou-se na análise de históriais médicos de doentes tratados no estado de Tennessee, nos E.U.A. entre 1992 e 2006. Fizeram-se comparações entre centenas de casos nos quais este medicamento foi prescrito e tomado e naqueles em que não foi ou então foi feita a escolha por outro antibiótico (amoxicilina).
Os resultados obtidos demostraram que o risco de mortes relacionadas com problemas cardíacos nos primeiros 5 dias de tratamento nos doentes que tinham tomado azitromicina foi na ordem do dobro ou mais do que nos outros que tinham tomado  amoxicillina, ou não tinham tomado nenhum.
Para fazer a comparação de riscos na tomada destes medicamentos, os cientistas fizeram o cálculo no número de mortes por cada milhão de tratamentos com antibióticos que era de 85 entre doentes tratados com azitromicina, enquanto nos doentes tratados com amoxicilina eram de 32 e 30 os que não usavam tratamentos com antibióticos. 
Ainda assim, os especialistas afirmam que os resultados não são alarmantes, reafirmando que será necessário continuar a investigação para confirmar com mais seguridade os resultados.Daqui:44739-Un-popular-antibi%C3%B3tico-aumenta-riesgo-de-muerte
A pintora sulamericana Ides Kihlen de 95 anos de idade, refere que o seu tratamento preferido é a sua pintura.
Sem ela não passa … Ela é que sabe!

Docente Rosa Silvestre

Categorias:Uncategorized

A velhice vive na cabeça das pessoas …

Existe uma diferença muito grande entre ser idoso e ser velho. Idoso é aquele ser humano que ainda sente o direito de sonhar porque o sonho é vida. Pode ser considerada idosa uma pessoa que, tendo alcançado uma idade avançada, mantém-se activa, alegra-se em traçar planos e projectos de vida, usufruindo do direito de sonhar, como o fazia na sua época de juventude e maturidade, enquanto uma pessoa velha é uma pessoa que transforma o ter alcançado avançada idade na obrigação de tornar-se uma pessoa rabugenta, como  poço de lamúrias e reclamações, dirigidas contra todas as pessoas com quem convive, alvos preferenciais do seu desgosto ou inapetência do seu viver.

O ser humano vai-se construindo segundo a intensidade ou a qualidade dos seus sonhos, que começa a “morrer” quando perde a capacidade de sonhar e de querer ser feliz. Uma pessoa que sonha, por mais idosa que seja, não é tida como velha, e nem assim se vê a ela própria. Os sonhos que acalenta transmitem juventude e força ao seu corpo e mente.

yy4LLB2PZgM

Ao ver o futuro, povoado de visões e imagens projectadas pela sua alegria e bom ânimo de viver, o mesmo se prepara sempre alegre e bem humorado para ele. Uma energia poderosa e subtil inflama as velas da sua alma ardente, repleta de desejos, esperança e utopias. Neste sentido, não raciocina em termos de não dispor de muitos dias, para ver realizadas as metas que projecta.

oQeSEEizBc0

Quem não conhece  jovens de vinte anos que parecem e são idosos, caminhando celeremente para se tornarem velhos pouco depois dos trinta?

“Eles não sabem nem sonham

que o sonho comanda a vida

que sempre que o Homem sonha

o mundo pula e avança” – Antônio Gedeão.

E que o sonho de voar é que deu asas às aves.

Se o sonho é que faz o Homem criar, então é verdade que até  “a pedra pode nos ajudar a sonhar” – Bachelard.

Docente Rosa Silvestre

Categorias:Uncategorized